quarta-feira, 18 de abril de 2012

FAMÍLIA: Espaço de Entreajuda


(A título de promoção, conheça o início do meu novo livro para a família, que será lançado em breve. Nele pretendo despertar o desejo de que a família seja um espaço de ajuda recíproca e de desenvolvimento humano. Boa leitura)

A família é o jardim
onde se podem cultivar múltiplas flores.
O solo fértil
onde se podem lançar boas sementes.
Com Família: Espaço de Entreajuda venho impetrar uma discussão visando suscitar a autoanálise pessoal e familiar, despertando a fome de crescer em direção às pessoas que fomos chamados a ser nestes tempos modernos, aviltantes e ameaçadores!
         Criamos a cultura imediatista e efêmera, o individualismo exacerbado, onde tudo precisa ser do nosso jeito: personalité! Produzimos a industrialização, o capitalismo de mercado, parimos a velocidade - rompemos a barreira do som -, as coisas se aceleraram tresloucadamente e todos estão apressados. Inventamos a internet que nos conectou ao mundo - socializando o saber como nunca acontecera na história dos homens -, e o conhecimento universal ficou disponível num click de mouse.
         Acontece que o bumerangue voltou apressado e eclodiu em nosso peito, sofremos seus golpes, quedamos. Isto se reflete na pressão psíquica para assumirmos o pódio e sermos sucesso e as sequelas são notórias: os consultórios terapêuticos estão cheios, os manicômios também! Nunca se tomou tanta medicação para os distúrbios mentais.
          Em meio a esta efervescência estamos nós, está a família. A família que deveria ser um lugar de paz, útero social, remanso na correnteza da vida, tornou-se um lugar tenso, atritoso, atormentado pelos reflexos do que somos, construímos e legamos! Separações, estupros, incestos, agressões em vários níveis e formas, violências e mortes habitam o mundo de muitas famílias modernas, infelizmente!
          Com pesar, num misto de dor e esperança, em meu trabalho de auxílio às famílias, tenho presenciado muitas lágrimas: cônjuges, filhos, sogros e sogras que vertem um caudal agonizante, expondo o que lhes vaza a alma, choram suas perdas e sequelas. Este texto se corporifica em mais uma forma de tentar ajuda-las!
           Para tempos como estes a família, a verdadeira família que todos almejamos, deve ser um espaço de entreajuda, de manifestações recíprocas de atenção e apreço, escola de solidarização e lugar humanizador da vida. Para dias de adversidade e expressões violentas de crises generalizadas como os nossos, espera-se e se precisa de que a família seja, efetivamente, um espaço de acolhida mútua permanente.
            Neste lugar a amargura, o ódio, a indiferença, a agressividade, a maldade, o desejo de vingança e a desconfiança devem ceder mediante as manifestações de perdão, ternura, afeto, afago, carinho, respeito, elogio e admiração.
            Sim! Este texto carrega o meu desejo de discutir alternativas, caminhos, valores e princípios basilares que poderão evitar que saiamos de casa, ou até mesmo nos trazer de volta, nos redirecionando na vida equilibrada, disponível a todos nós, pela graça do Pai Celestial, apesar da hodierna ciranda social.
            Família: Espaço de Entreajuda deseja refletir com você sobre a estruturação familiar tão necessária à formação da personalidade do indivíduo que está sob a nossa responsabilidade e discutir ideias a respeito da convivência com o cônjuge e os filhos que geramos ou escolhemos. Pretende oferecer subsídios que possam servir de lastros para o necessário desenvolvimento humano. E mais: almeja investigar algumas relações familiares problemáticas e apontar alternativas à luz dos princípios cristãos, em diálogo com outras vertentes sapienciais, pensando desarmado e com largueza.
             Tudo isso na expectativa de que a família seja um lugar de paz e sossego; alegria e riso, onde cônjuges, filhos, genros e noras sejam abençoados e abençoadores. Colheita relacional aprazível de uma sementeira esperançosa e bem-sucedida!
             Convido-lhe a pensarmos juntos a respeito de alguns temas que tenho apresentado às famílias nos auditórios mais diversos: congressos, conferências, acampamentos e jantares no Brasil e exterior.
             Daremos os primeiros passos em nossa caminhada Conversando sobre Dinheiro. Começo assim por perceber que na sociedade hodierna o dinheiro assumiu a proeminência e lidera, seguido pelo sexo, os ranques de temas mais importantes para a vida. Por isso, dialogaremos sobre as descobertas pessoais a respeito do trato com dinheiro, os hábitos internalizados ao longo de nossa formação e a necessidade de gerirmos responsavelmente o orçamento familiar, equilibrando as finanças e conquistando a saúde financeira que tanto almejamos. O que evitará atritos desnecessários resultantes da má administração dos nossos recursos financeiros.
               No capítulo seguinte chegaremos ao instigante tema das mídias e veremos As Influências das Mídias na Ambiência Familiar, refletiremos sobre os apelos que adentram à família pelas vias marqueteiras midiáticas e proporemos a cada indivíduo que se torne gerente de si mesmo e do seu lar, contribuindo com a construção de vínculos familiares afetivos fortes que se tornarão cordas e os manterão unidos e coesos, apesar das insinuações externas, dos puxões e apelos da sociedade de consumo. Em Família e Trabalho: um Binômio Essencial discutiremos o necessário equilíbrio nestes dois espaços vitais, para que não vivamos sucumbidos às demandas do mercado, lembrando-nos de que o ambiente familiar é um lugar especial de acolhida, de renovação da vida. Para tanto apresentaremos a necessidade de encontrarmos um ponto convergente resultante de uma parceria com o Deus Eterno, que repercuta em beleza humana e paz interior evitando que os membros da família sejam devorados pelos dentes ferozes do deus mercado.
             Em o Relacionamento do Casal com as Famílias de Origem proponho o reconhecimento da dívida de gratidão e de respeito para com aqueles que forjaram as nossas vidas e trabalharam para conquistarmos a independência e construirmos a nossa história enquanto indivíduos e família nova. São aproximações que se apresentam férteis tanto de sucessos quanto de fracassos!
             Entendo que estes temas presentes em nossa labuta devem ser discutidos numa perspectiva mais ampla da vida, à luz de vários saberes. Não gosto de trabalhar com mapas, porém não os descarto, é claro. Vejo, contudo, que as bússolas são muito mais desafiadoras, por isso, não é minha pretensão prescrever receitas, tendo em vista a singularidade subjetiva individualizada do ser humano.
              Sonho com o nascer de um tempo em que a comunicação familiar trafegue em mão dupla, estabelecendo o permanente diálogo, onde todos os membros possam ter voz e vez; ser ouvido e ouvir, gerando um afetuoso ambiente de respeito mútuo, tão necessário à maturidade humana.

Sabemos que o indivíduo age e interage em vários mundos: o do trabalho, das finanças, da política, do estudo, esporte, lazer, religião etc. Contudo, nenhum mundo tem maior importância e significados do que o familiar. Isto acontece porque “a família é o mundo significativo mais importante na formação da personalidade humana” (Merval Rosa). Daí se impõe a necessidade de refletirmos sempre sobre a família e a levarmos a sério neste contexto social pós-moderno, por entendermos que ela está em primeiro lugar entre as forças influentes de caráter psicossocial e se constitui no núcleo socializador por excelência para o indivíduo.
             Com Família: Espaço de Entreajuda apresento-lhe sugestões, ideias e aprendizagens de uma trajetória que há anos tenho trilhado na companhia de minha família, cheia de alegrias e tristezas, erros e acertos, risos e lágrimas. Contudo, permanecemos juntos, porque descobrimos alguns princípios que nos possibilitam a sequência da viagem rumo à maturidade existencial que está em construção. Nesta caminhada temos uma dívida de gratidão a muitos indivíduos e casais que nos oportunizaram acompanhar suas lutas e tensões, derrotas e vitórias. Aprendemos também com eles!
             Neste livro procuro expor a possibilidade do crescimento, do enriquecimento pessoal e matrimonial no viajar da vida. Donde poderemos usufruir, em cada estação à margem do caminho, de um pouco mais de alegria e refrigério, apesar das tempestades próprias das estradas sinuosas e ardilosas, que corajosamente deveremos trilhar e as enfrentar a céu aberto.
             Para estes tempos de atrocidades, injustiças galopantes e stress almejo acender uma lâmpada, fazer brotar um pouco mais de luz sobre a realidade de todo aquele que me lê. Que a escuridade não se imponha, que os ladrões e assassinos da paz familiar não predominem, nem os de fora nem os de dentro!
              Eis as nossas famílias, com suas características peculiares diversificadas: as que completam bodas de prata e de ouro; mas, também, as que se desfazem e se refazem. Há os meus filhos, os seus filhos que se conhecem e passam a viver juntos, porque nós nos conhecemos e, agora, povoam as nossas vidas. Ainda há meninos e meninas que nascem de mães e pais solteiros, por opção ou por decepção. Entretanto, essa é a nossa família!
               Então! Vamos à cozinha? Ponha o seu avental e de posse dos ingredientes sugeridos, adapte-os à sua realidade e prepare o seu banquete! A minha esperança é que ele não se queime, nem seja comido sozinho, mas que haja celebração, sorriso e festa no início, meio e fim de todo o processo culinário.
                Bom apetite!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Quem somos
O Projeto Galileu tomou forma a partir do desejo de dialogar com empresários, executivos, profissionais liberais, líderes sociais e suas respectivas famílias, versando sobre os temas que pululam a existência do indivíduo na pós-modernidade.
Somos comprometidos com os valores cristãos e propagamos a esperança que emana da vida e obra de Jesus de Nazaré em diálogo com outros saberes oriundos da construção histórica.
Entendendo que não temos todas as respostas para as inúmeras indagações desta geração, queremos contribuir com algumas aprendizagens.
Nosso afã é semear boas notícias para que a família desenvolva sua humanidade e, estruturada, produza cidadãos comprometidos com o seu tempo!

O que defendemos
Que a família seja o nosso maior bem, o patrimônio que efetivamente conte no balancete da vida, o eixo central na formação da personalidade do indivíduo e local de permanente humanização do sujeito.
Que a liberdade de expressão e o diálogo construtivo nas relações interpessoais sejam prezados.
Que o incentivo e o desenvolvimento de uma consciência crítica sejam realidades que levem o indivíduo a respeitar a Deus e à dignidade humana.
Que nossos eventos promovam crescimento humano que desemboque na família e nos demais grupos sociais.
Que nossas palestras tenham como ponto de partida os dilemas da sociedade contemporânea e o ensino de Jesus de Nazaré seja nosso norte.


Nossa Missão
Incentivar a reinvenção pedagógica responsável da pessoa humana, que contribua para o desenvolvimento de uma espiritualidade saudável, tendo como parâmetro basilar o Evangelho de Jesus.

Construindo pontes
No Projeto Galileu você e sua família vão encontrar pessoas limitadas, finitas, mas que compreendem o valor de cuidar de gente, amar gente e ser gente! Cristãos que reconhecem a perfeição como atributo pertencente unicamente àquele a quem tributamos elogios, gratidão e adoração. Temos na pessoa de Jesus o nosso paradigma e o servimos no próximo!
Compreendemos que as artes, e em especial a música, comunicam indelevelmente à sensibilidade humana, portanto em nossos encontros este é um momento muito especial.
Você e sua família são bem-vindos para pensarmos as tensões da vida com fé e inteligência, pois entendemos que a “fé cristã não é um suicídio intelectual”.


www.projetogalileu.org
projetogalileu@hotmail.com
81-9634-7626